Histórias de Velhos Dragões

Prólogo
Para onde foram as Luzes?

O grupo recem formado de aventureiros estava a procura de dinheiro para sua sobrevivência. Os espólios da última missão não sobreviveram à longa viagem que tiveram até Arceros. Sabiam que precisariam fazer uma parada em alguma vila ou cidade ao norte para estadia e quem sabe ganhar alguns trocados. 

Decidiram passar pela vila de Hommebrick, sabia-se que nessa época do ano aquela vila sediava um festival de médio porte que vinha crescendo cada vez mais com o decorrer dos anos: O Festival das Mil-Luzes. Uma festa criada para fins turísticos onde as pessoas visitavam a vila para apreciar luzes místicas e hipnotizantemente bonitas invadirem os céus da vila. Porém, ao chegarem na vila, percebem que a decoração da mesma está sendo retirada pelos aldeões, e que a cidade não está tão movimentada quanto vocês imaginaram.

Após uma investigação pelo local, os aventureiros descobriram que as luzes, no festival desse ano, não apareceram, deixando uma onda de turistas e mercadores frustrados e a prefeita  da cidade, Ellye, com os nervos a flor da pele. 

Eventos importantes durante o downtime em Hommebrick:

  • Comodoro e Weidman fizeram um acordo com Ellye para a recuperação das luzes para a cidade. ( Quest: Tragam as Luzes!)
  • Benjen foi até o ferreiro Sortgoth em busca de conhecimentos sobre ferraria, o qual não foi recebido bem. Porém, depois de uma curta conversa, Benjen recebeu uma tarefa. ( Side Quest: Busca por Niquel)

Foi descoberto pelos aventureiros que provavelmente o druida da vila, Rath’sha, possa saber o que está havendo com o desaparecimento das luzes. Os aventureiros também percebem o visível desgosto dos moradores pelo druida, mas não entendem o por que.

Após irem até a cabana de Rath’sha, na localização apontada pelos locais, a encontram vazia, a não ser pelo pequeno cão de guarda que avança nos aventureiros, em uma medida rápida para escapar em direção ao bosque. Ao darem uma olhada melhor na cabana, é possível ver traços no chão e fora da casa de que algo foi arrastado em direção ao bosque. Após algum debate, o grupo decidiu adentrar o bosque em busca do druida perdido e de resolver o problema.

A medida que os aventureiros adentram cada vez mais, o bosque fica mais e mais escuro. Fica evidente depois de um tempo que o mesmo está sobre o efeito de uma magia de Escuridão. Como se não bastasse, os aventureiros eventualmente são engajados por um grupo de 4 Sombras, as quais foram derrotadas. Graças as habilidades de Weidman, os aventureiros não se perdem dentro do grande emaranhado de escuridão mágica e labirintos de árvores e raizes. Até que eles adentram no que seria uma área que não é afetada pela escuridão mágica, com um brilho de luz alaranjado e bruxuleante de uma Lanterna. Tal lanterna estava descansada ao lado de um pedestal de pedra maciça. Ao chegar mais próximo da lanterna, os aventureiros vêem uma fenda, logo atrás do pedestal, que leva para uma escuridão densa.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.